Show simple item record

dc.contributor.advisorMaggi, Alice
dc.contributor.authorRaube, Daniela Elisabete Schneider
dc.contributor.otherSager, Fábio
dc.contributor.otherBosi, Denise Rasia
dc.date.accessioned2020-05-28T14:14:08Z
dc.date.available2020-05-28T14:14:08Z
dc.date.issued2020-05-26
dc.date.submitted2020
dc.identifier.urihttps://repositorio.ucs.br/11338/6089
dc.descriptionO presente trabalho tem como foco de pesquisa os cães como facilitadores para profissionais da Psicologia, inclusos na área hospitalar para trabalhar com crianças hospitalizadas. O objetivo do estudo é identificar as possíveis contribuições da interação de cães com crianças para a psicologia hospitalar. Além disso, caracterizar a relação do homem com os cães, conceituar psicologia hospitalar e apresentar as particularidades da hospitalização infantil. Optou-se pela abordagem qualitativa, de caráter exploratório e interpretativo por meio da análise de um artefato cultural. O referencial de análise adotado foi a análise de conteúdo, filme "O milagre dos cães", em que foram selecionadas nove cenas correspondentes às categorias propostas, ou seja, a relação do homem com os cães, psicologia hospitalar e as particularidades da hospitalização infantil. Em seguida, as categorias foram teoricamente discutidas. Os resultados da categoria I, a relação do homem com os cães, indicam o papel do cachorro como importante nos vínculos de afeto e apego do indivíduo. Na categoria II, psicologia hospitalar, o cão torna-se um facilitador, instrumento importante para a realização da terapia entre psicólogo e criança, já que o profissional de psicologia pode ter uma dificuldade de vinculação com o paciente. Devido ao ambiente hospitalar ser um local desconhecido pelas crianças, fazendo-se assim, necessário um apoio psicológico para que sejam reconhecidas e canalizadas positivamente. Na categoria III, as particularidades da hospitalização infantil, o convívio com os cães de estimação ajuda na redução de estresse, sendo uma forma auxiliar de terapia complementar. O sucesso da terapia é o vínculo estabelecido entre paciente e o animal, pois abre caminho de forma fácil e rápida para a comunicação com o psicólogo. A relação entre psicoterapeuta e animal, poderá ser percebida pelo paciente, gerando maior confiança no desenvolvimento da relação com este profissional. Portanto, as possíveis contribuições da interação se confirmam, pois há uma amenização dos sintomas que levaram a internação da criança no ambiente hospitalar, devido a interação com cães e seu auxílio para a facilitação de vínculos afetivos, e o papel da equipe multidisciplinar da área da saúde na coordenação destas ações. O psicólogo é imprescindível no que refere-se ao bem-estar e a saúde dos pacientes, sendo ainda necessário discutir o papel do psicólogo hospitalar juntamente com o auxílio de cães na facilitação de vínculos afetivos na interação com crianças hospitalizadas. É necessário problematizar e refletir sobre a questão de aproveitar ao máximo o cão como uma ferramenta de trabalho neste contexto, visto ser liberada a inserção dos mesmos em todos os hospitais, destacando uma possível melhora na qualidade de vida pessoal e profissional dos sujeitos, equipe de trabalhadores e pacientes. Sugere-se, por fim, que mais pesquisas sejam realizadas, incluindo um estudo prático de campo (sic).pt_BR
dc.language.isoptpt_BR
dc.subjectPsicologiapt_BR
dc.subjectHospitais - Aspectos psicológicospt_BR
dc.subjectHospitalizaçãopt_BR
dc.subjectCãespt_BR
dc.subjectCrianças - Assistência hospitalarpt_BR
dc.titleAs possíveis contribuições da interação de cães com crianças hospitalizadaspt_BR
dc.typeTCCpt_BR
mtd2-br.advisor.instituationUniversidade de Caxias do Sulpt_BR
mtd2-br.program.nameBacharelado em Psicologiapt_BR
mtd2-br.campusCampus Universitário de Caxias do Sulpt_BR
local.data.embargo2020-05-26 00:00:00


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record